Rede elétrica precária põe em risco a vida de primeira-cruzenses; o que é prioridade, Equatorial?


Que a Companhia Equatorial não presta um bom serviço de infraestrutura elétrica na cidade de Primeira Cruz, todo mundo já sabe. As constantes quedas de energia mesmo com uma pomposa subestação provam isso. Mas que a empresa que se diz séria e que seus valores se resumem em segurança, ética e foco em gente, quase ninguém sabia.


Fico me perguntando se itens da missão, visão e valores de uma empresa de grande porte se sobrepõem entre si, mas neste caso fechei os olhos para alguns dos valores postados no site da Equatorial “obstinação pelo lucro” e “ênfase na meritocracia” para analisar um caso em específico: a arcaica e perigosa rede de infraestrutura elétrica em cidades dos Lençóis maranhenses.


Na noite de ontem, 14, um cabo de energia partiu e eletrizado, isolou uma rua do município de Primeira Cruz. Um animal que passava desavisado sofreu as consequências e vou polpar os olhos dos nossos leitores com vídeos e fotos que circulam nas redes sociais. Realmente o foco é só em gente.


Populares rapidamente avisaram toda a cidade do problema com postagens nas redes sociais, com fotos e textos alertando a população. Mas a situação da Rua Nova é só mais um problema de todo esse emaranhado de mazelas que o esquecimento e o descaso agregam.


No povoado Caeté, por exemplo, um cabo de energia remendado paira sobre uma pequena lagoa: a Lagoa da Vargem Comprida. Bastante conhecida no local.


De fato a missão, visão e valores de uma empresa desse porte não poderiam se refletir em casos específicos como a cidade de Primeira Cruz, que tem problemas seríssimos, com uma infraestrutura energética arcaica e perigosa. Dessa vez, a obstinação pelo lucro e a ênfase na meritocracia se superaram e se sobrepuseram aos outros valores.


O espaço no meu blog está aberto: com a palavra, a equipe de Relações Públicas da Equatorial...